Perdido no|de-novo

Está tudo tão novo e diferente, mas sinto que é velho conhecido. De onde? Não sei ao certo. Quando? E isso realmente importa? Como? Foi só misturar água e ar. Depois de muito procurar a resposta, e de desistir de procurar ela aparece. Chegou discreta e timida, mas me acertou como a ponta de uma espada. Certeira e profunda, impossível de não se sentir, de não se render.

Troquei todos os pontos de interrogação pelos de exclamação e todos os pontos finais pelas retissencias. Nem adianta o racional tentar compreender algo que o emocional tem plena certeza. Não é algo pra se analisar, é só sentir e ver que o que existe simplismente É. O tempo ficou pequeno perto de tudo o que está acontecendo. Ele foi sublimado por um fogo que queima por dentro, que derrete a vela. E perto uma da outra, a cera delas se funde tornando uma só.

Longe dos pontos de interrogação fica a sensação de segurança, conforto, certeza. Nem a insegurança consegue fazer tudo isso parecer loucura. Reencontro? Acredito que sim! E agora? E agora já aconteceu, não tem mais volta, não tem mais medo. A identificação pelas palavras foi confirmada pelo choque dos olhos, pelo conforto do cheiro, pelo toque da pele.

Mas mesmo assim, a informação é tanta que é preciso de um pouco de tempo pra se digerir tudo. Tempo pra se des-hipnotizar e voltar a ser o que era. Tarefa impossível essa. Não existe mais quem eu era antes de me perder desta vez. Talvez tentar reorganizar os pensamentos, colocar as palavras certas nos devidos lugares e definir os passos que se seguem. Ou apenas fechar os olhos e deixar a onda me levar, afinal foi ela que me achou e é ela quem vai me guiar.

amf 09.08.2006

1 Comment »

  1. JU said,

    August 10, 2006 @ 21:13

    Menino, que texto lindo!!!!
    Ta escrevendo muito bem……na verdade vc sempre o fez…

    Vê se aparece com mais tempo pra conversarmos…..

    beijos

RSS feed for comments on this post · TrackBack URI

Leave a Comment