Koi Project #1

Quinta-feira, 16 de março de 2006 – 16h00
Duração da sessão: 01h30

Finalmente é chegado o dia. Saí do trabalho logo depois do almoço. Fiz um lanche uma hora antes pra não baixar a pressão na maca. A ansiedade é gigante, um misto de medo e ansiedade. Cheguei no estudio pouco antes da hora marcada, já estava tudo preparado só me esperando. O Mauricio já havia passado o desenho pro papel manteira, e depois pra um papel específico pra fazer o decalque nas minhas costas. Ele cortou o desenho em três partes.

Ele mediu direitinho nas minhas costas e passou a 1a parte pra pele. Deitei na maca e começamos. Ele começou fazendo uns traços na altura do ombro direito, a cabeça da carpa. Primeiro traço, segundo traço, tudo certo. Terceiro traço, quarto traço, quinto traço, que dor é essa!!? Bateu arrependimento, desespero, suor frio, mas agora já era tarde pra voltar atras. Tinha de aguentar, logo o corpo começaria a se acostumar. Já havia conversado sobre a respiração com o Mauricio e fui tentando respirar igual quando vamos fazer um piercing. Eu inspirava e na hora que ele fazia o traço, expirava. Aguentei uns 15 minutos, mas comecei a ficar super oxigenado, fiquei meio tonto, os braços e pernas pareciam que tinham o motor das agulhas dentro deles.

Intervalo! Sentei um pouco na maca, levantei para tomar uma água e deixar o sangue circular pelo corpo. Quando olhei no espelho e padaço que já estava pronto, ganhei novo ânimo e a essa hora o arrependimento já tinha passado. Uns 5 minutos depois, já estava deitado na maca novamente. O processo foi ficando mais tranquilo, com o corpo se acostumando com a dor. Paramos mais umas 2 vezes depois. A dor variava de acordo com o lugar. Meu lado esquerdo dói mais que o lado direito. Quando tatuava em cima do osso era diferente de quando só em cima do músculo. No músculo lembra um pouco a dor de injeção, mas é como um arame arranhando. No osso é só o arame. Algumas partes parece que repuxa alguns pontos em lugares diferentes. As vezes parecia que tinha alguma coisa puxando dentro da barriga. Imagino que deva ser algum nervo.

Acredito que como foi o primeiro contato, o choque foi grande, mas no fim deu tudo certo. É gostoso quando termina e ele limpa a tatuagem com água, refresca e fica um ardido bom. Eu imaginava que a dor fosse mais suportável, mas não é nada de outro mundo também. O início foi ruim, mas depois o corpo se acostuma.

Achei esses dois artigos que falam sobre a origem da tatuagem oriental. A tatuagem passou de um adorno para a caça, a um instrumento de punição a criminosos, para a participação na Yakuza, até os dias de hoje, como manifestação artística.

Próxima sessão – 13.04.2006

2 Comments »

  1. dani andreucci said,

    June 14, 2006 @ 10:27

    aaaaaaaaah não dói nada vai…. rs… dá próxima vez toma uma pinguinha antes.

  2. Edu Nagura said,

    July 18, 2006 @ 01:25

    Não indo no embalo, mas o desenho ficou irado. Quero uma carpa, mas pegando 1/3 das costas…
    Vale passar no Led’s?
    Falow, abs

RSS feed for comments on this post · TrackBack URI

Leave a Comment