Roda tudo

Eternamente alimetado pela vontade. Preso na roda da paixão, descobrindo como ser descoberto. Procurando e se entregando, errando ou acertando, um dia encontrando. Flutuando no ar, ancorado por desejos aliementados por sonhos intermináveis. Sempre na busca da perfeição. Lapdando cada aspecto do ser. Guerra diária sem trégua nem descanso. Quem sabe sozinho ainda porque tenta demais, exige demais, sonha demais…

Consolado pela certeza de um dia sossegar o coração. Aquietá-lo não do fogo da paixão, mas da busca angustiante por seu par, sua metade, sua companheira, sua eterna felicidade. É tão grande a necessidade de alguém para se dedicar, que sem isto, seu peito parece vazio, oco, frio. A razão atrapalha, mas a emoção afoga.

Precisa da confidência encontrada na confiança, da necessidade da convivência e da inocência da intimidade. E no fim faz um apelo ao músculo do peito: ou cála-te ou calo inerto no leito.

amf – 09.02.2006

Ouvindo: Violently Happy – Björk

1 Comment »

  1. Anna said,

    May 31, 2006 @ 11:24

    Nunca conseguiria dizer melhor o que eu mesma sinto. Cada palavra é exata, em seu lugar exato, muito bom… Encontrar as palavras certas pode nos ajudar muito a ver as coisas com mais clareza.
    Beijos.

RSS feed for comments on this post · TrackBack URI

Leave a Comment