Archive for August, 2005

Amizade x Convivência

Analisando friamente, por onde passa a linha tênue que difere uma amizade de muito tempo de convivência? Que características de uma pessoa a transformam de um colega em um amigo? Acredito que não seja possível se medir facilmente esse tipo de relacionamente, mas existem coisas que são fundamentais numa amizade. Confiança, respeito e cumplicidade são os pilares básicos. Acrescentando valores e gostos em comum com sentimentos de conforto e segurança quando ao lado da outra pessoa.

“Amigos são pra sempre!” essa frase diz muita coisa. Eu diria que amigos de verdade não são encontrados e sim re-encontrados. Tem sempre um sentimento de algo que já existia, como se você já conhecesse a pessoa a muito tempo atrás. Os relacionamentos de laços sanguíneos você não escolhe, mas os de laços afetivos sim. É por isso que, muitas vezes, temos mais afinidade com amigos do que com nossos irmãos. A família é pra sempre, mas depois de certa idade nos desligamos do nosso núcleo familiar pra começar a construir bases para formar um novo núcleo. Nessa hora que os amigos verdadeiros continuam conosco. E é muito recompensador quando você encontra um amigo verdadeiro dentro da família, onde vocês dois conseguem transcender os laços sanguíneos e criar laços eternos de uma amizade verdadeira.

O tempo não interfere numa amizade verdadeira, você pode ficar sem contato direto com um amigo por anos e quando voltam a se ver é como se tivesse passado semanas apenas. Normalmente com os colegas de trabalho, faculdade ou escola que você tinha cumplicidade, confiança e respeito, depois que se separam por conta de alguma mudança, perdem contato. Nesses casos são pessoas que passaram por sua vida, mas que não tiveram ligação muito forte com você. É normal as pessoas confundirem amizade com convivência e se decepcionarem por conta disso.

E como você descobre um amigo? Normalmente o amigo que te descobre. Essas coisas acontecem quando você menos espera, normalmente você começa a conviver com a pessoa por conta de determinados grupos de afinidade e essa convivência vai se desdobra em algo maior. É muito gostoso você ter um amigo pra conversar, pra trocar experiências, pra te dizer verdades que todo mundo tem medo de falar, pra te apoiar ou reprovar em decisões na sua vida, pra te dar um ombro quando precisa chorar e pra você poder corresponder da mesma forma.

Hoje em dia eu tenho percebido que as pessoas andam muito fechadas e tem um certo recio de abrir com pessoas novas no grupo, por isso que as pessoas que são mais abertas tem mais facilidade de se relacionar. Elas compartilham suas vivências e os outros se sentem mais confiantes pra fazer o mesmo. “É dando que se recebe.” e assim você pode até não encontrar muitos amigos, mas vai conhecendo pessoas novas e de cada uma você pode tirar algum aprendizado pra sua vida e ensinar um pouquinho também.

amf – 20050809

Comments (1)